Recuperação de Dívidas Atrasadas

Como os birôs de crédito ajudam sua empresa a evitar a inadimplência e manter o caixa sempre saudável.

Humberto

Humberto Bocayuva • Social Media

• 06min de leitura

Ter um fluxo de caixa saudável e sob controle é a dica número um de todos os manuais de boa gestão financeira. O fluxo de caixa nada mais é do que um controle das entradas e saídas de dinheiro das contas da companhia. Entram, por exemplo, receitas provenientes das vendas e saem recursos para pagar fornecedores e funcionários. O registro de toda a movimentação (fluxo) de dinheiro que entra e sai hoje, acrescido das previsões para os meses seguintes, compõem o chamado fluxo de caixa. 

Ele é importante porque dá visibilidade sobre a situação da empresa e permite que o gestor veja quanto dinheiro precisa ter disponível no caixa para capital de giro (os custos associados à operação do dia a dia) ao longo do ano. Segundo pesquisa do Sebrae, as maiores causas que levam uma empresa a fechar as portas estão ligadas justamente à falta de planejamento e a erros de administração, em particular quanto à gestão do caixa, afinal de contas, quando não se tem dinheiro para quitar os diversos compromissos diários, como salários, fornecedores, aluguéis, etc, a empresa não tem condições de sobreviver. Porém, mesmo os administradores mais regrados podem ter surpresas com inadimplência.

Existe uma máxima que diz que “os custos são sempre certos e as receitas são sempre incertas”. Quando um cliente deixa de pagar, a empresa arca com os custos do produto vendido ou serviço prestado, mas a receita não entra no caixa. Dependendo do tamanho do calote, a companhia pode ter dificuldade para cumprir compromissos já programados, como pagamento de fornecedores. Alguns até precisam recorrer a empréstimos e pagar juros por isso.

Para se prevenir contra esse descasamento, a dica é utilizar as soluções de análise de crédito disponibilizadas ao mercado pelos chamados birôs de crédito, ou gestores de bases de dados, como a Quod. Os birôs de crédito também auxiliam empresas a recuperarem as dívidas atrasadas. A seguir, vamos conhecer como este processo funciona.

O processo de cobrança de dívidas atrasadas, além de ser desconfortável para a empresa, gera efeitos na vida do consumidor, que não pode abrir contas ou mesmo fazer alguns tipos de operações comerciais, caso esteja com o nome num banco de dados de inadimplentes. Se a empresa não tem um departamento que cuida especificamente dos clientes inadimplentes, a dica é contratar um serviço especializado. “Vender é ótimo, mas as empresas também precisam se preocupar em receber em dia, para não prejudicar o fluxo de caixa”, diz Gustavo Oliveira, diretor comercial da Quod. 

Quando uma empresa opta por fazer a cobrança de um consumidor por meio de um birô de crédito, a informação de inadimplência passa a ser exibida no histórico de crédito do cliente em atraso para outras empresas. Com isso, este consumidor pode ter o crédito reduzido ou negado caso venha a solicitar em outra empresa. Essa dinâmica evita que o consumidor se endivide em excesso e protege as outras empresas que não conhecem o histórico do consumidor.